Considerado um crime de ódio, manifestações de intolerância religiosa são comuns no país e ferem tanto a Constituição quanto a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Em Salvador, os registros já cresceram 81.4% em 2019, se comparado ao mesmo período do ano passado.

Até esta segunda-feira (2), segundo dados do Grupo Especial de Proteção aos Direitos Humanos e Combate à Discriminação do Ministério Público da Bahia (MP-BA), já foram 127 denúncias. O número, mesmo antes de o ano terminar, já supera em 57 casos os registros de 2018.

Ainda de acordo com o MP-BA, 90% das ocorrências atingem as religiões de matriz africana. No acumulado de 12 meses, até novembro, foram 45 crimes praticados contra este público, 3 casos atingiram religiões cristãs evangélicas, além de um registro de intolerância contra adeptos do islamismo e ateus.

BNews.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui