O legislativo em Santo Antônio de Jesus passa pela eleição de escolha do novo presidente do biênio 2019/2020 no próximo dia 1/11 às 10 hrs, nos bastidores da política de nossa cidade muitas coisas aconteceram, estão acontecendo e acontecerão até o dia de amanhã. O grande acontecimento desta quarta-feira 31/10 foi o lançamento da chapa de oposição a permanência do atual presidente Antônio Barreto Nogueira Neto, conhecido como Tom, composta pelo presidente Luiz Almeida Santos (Luiz do Alto), o vice-presidente Pedro Lopes de Ribeiro (Pedro de Têca), o 1º secretário Marcos Antônio da Costa Muniz (Chispita) e o 2º secretário Carlos de Oliveira Ramos (Cau de Dodô).

Com o apoio da base que faz oposição ao governo municipal, teria grandes chances de desbancar presidência que apoia o governo de Rogério Andrade, dizendo amém a todas as reivindicações do atual prefeito, a chapa além de 4 (quatro) vereadores ainda contavam com os votos dos vereadores Dr. Francisco, que já teria anunciado não votar pela reeleição do atual presidente, Vereador Altemir, dá mesma forma mostrava descontentamento, Irmão Gerson e Chico de Dêga, entretanto repentinamente o vereador  Carlos de Oliveira Ramos (Cau de Dodô), que compunha a chapa como 2º secretário desistiu como num passe de mágica.

Em entrevista à Rádio Recôncavo FM, o vereador Pedro de Têca, questionava a desistência do vereador Cau de Dodô, quando o mesmo ligou para a rádio e se explicou da seguinte maneira… “Minha desistência ocorreu pois eu fui pensar melhor e entendi que eu estaria indo de encontro ao grupo que eu apoio e me apoia (Prefeito Rogério Andrade, Dr. Euvaldo Rosa, Décio Mascarenhas e outros vereadores.) então decidir por não continuar.” O vereador Pedro de Têca ainda questionou sobre os valores da palavra, sendo que o vereador Cau de Dodô, havia assinado pouco tempo antes um documento.

Quanto tempo mais teremos que conviver com uma política suja e trapaceira em Santo Antônio de Jesus? Onde já havia um cacique, cobra criada da política santoantoniense e agora um coronel carlista que se considera o dono de nossa cidade, subjugando até a câmara municipal, que deveria fiscalizar os trabalhos do executivo e não dizer amém a todas as vontades do prefeito, que com uma política maléfica de obras maquiadas vem enganando grande parcela de nossa população, maquiadas pois o próprio Ministério Público MP já constatou várias irregularidades nas obras, como o caso da rua 19 do Alto Santo Antônio, e as famosas obras aditivadas como o Canal do Mutum. O que teria realmente aditivado a decisão tão repentina do vereador Cau de Dodô em quebras sua palavra, que é de uma família digna na zona rural de nossa cidade e deve ter com certeza herdado valores morais de seus país acerca da palavra?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui