O corpo de Dona Maria Damiana que foi morta em Santo Antônio de Jesus pelo seu companheiro Antônio dos Santos Borges, não tem previsão de sepultamento. A demora pra liberação se dá devido à dificuldade que a Polícia Técnica está enfrentando para fazer a identificação da vítima devido ao avançado estado de decomposição em que o corpo foi encontrado.

Segundo o coordenador do DPT de Santo Antônio de Jesus, Dr. Lino Oliveira, inicialmente a polícia tentou fazer a identificação através das digitais, mas não foi possível pois estavam prejudicadas. O corpo encontra-se na capital baiana aguardando para que se faça o reconhecimento pela arcada dentária, caso através desse procedimento a polícia não chegue a identificação, será necessário fazer o reconhecimento através do exame de DNA, assim a espera pode ser de meses, “vamos fazer o exame pela arcada dentária para ver se conseguimos identificar porque pelas impressões digitais não será possível, se pela arcada dentária não foi possível ele vai ter que passar por um exame de DNA que demora dias ou até mesmo meses”, explicou o coordenador em entrevista a rádio Andaiá na manhã desta quinta-feira(12).

Voz da Bahia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui