Após a edição do Decreto 10.004/19 pelo presidente Jair Bolsonaro, ficou instituída a implementação das escolas cívico-militares nos estados e municípios brasileiros. Para tanto, é necessário a realização de processo seletivo para a contratação de militares inativos das Forças Armadas, o que deve custar aos cofres públicos o montante de R$ 1,5 milhão.

Os dados fazem parte do Termo de Execução Descentralizada, divulgado pelo Projeto Fiquem Sabendo, sob a responsabilidade do Ministério da Defesa, em coordenação com o Ministério da Educação, e o processo seletivo deve acontecer ao longo de 2020. No mesmo documento consta que, na seleção, haverá cota para mulheres militares de 25%.

A primeira escola cívico-militar da Bahia será instalada na zona rural do município de Feira de Santana, no centro norte do estado. Com cerca de 600 alunos, a taxa de reprovação na XV de Novembro, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), chega a 19,4% nos anos iniciais do ensino fundamental e 22,6% nos anos finais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui