O prefeito ACM Neto (DEM) cobrou nesta quinta-feira (2) que o Ministério da Educação seja transparente nos critérios adotados para cortar 30% do orçamento da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e demais universidades federais do país.

Na terça (30), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse que universidades que estiverem fazendo “balbúrdia” teriam bloqueio orçamentário de 30% e citou como exemplos a Ufba, a Universidade de Brasília (UnB) e a Universidade Federal Fluminense (UFF). O reitor da federal baiana, João Carlos Salles, confirmou que o corte havia sido feito. 

“Vejo esse corte com muita preocupação. Não só como ex-aluno da Ufba, mas como cidadão baiano. Quero me juntar ao coro das pessoas que vão lutar para que não haja prejuízo à Universidade Federal da Bahia”, disse o prefeito durante assinatura de contrato de empréstimo com a Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 35 milhões, para a execução do Programa Nacional de Apoio à Gestão Administrativa e Fiscal dos Municípios Brasileiros.

Ele ainda alertou que a tesourada pode “inviabilizar as atividades acadêmicas da Universidade”. 

“É preciso que o governo esclareça com muito transparência o que vai acontecer. É preciso que o Ministério defina suas prioridades. Agora isso tem que ser feito com regra, de maneira transparente, mas isso não pode comprometer o funcionamento das instituições de ensino superior”, defendeu. 

BNews

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui