Oministro da Saúde, Henrique Mandetta, disse, nesta segunda-feira (6), em pronunciamento, que irá continuar à frente do Ministério da Saúde, após rumores de que seria demitido pelo presidente Jair Bolsonaro.

“Não temos nenhum receio da crítica. Gostamos da crítica construtiva. Hoje foi um dia que rendeu muito pouco no ministério, porque ficou todo mundo sem saber se eu ia sair ou não. Mas nós vamos continuar, porque continuando vamos enfrentar o nosso inimigo, que é o Covid-19. Médico não abandona paciente. É que tenhamos o melhor ambiente para trabalhar”, disse o ministro.

Mandetta também falou sobre os problemas que o Brasil enfrenta para superara a pandemia do coronavírus.

“Enquanto tivermos a regularização de estoque de EPI, a previsibilidade de colocação de respiradores, reforçamos que devem ser seguidas as orientações dos senhores governadores do estado. A sociedade precisa entender que a movimentação social é tudo que esse vírus quer. A movimentação vai levar esse vírus para moradores de ruas, favelas, concentrações urbanas. Vida é vida. Os serviços médicos precisam ter condições de fazer esse atendimento. Não estamos prontos”, alertou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui