Um homem causou uma confusão em um ônibus, quebrou objetos de um bar LGBT na Avenida Carlos Gomes, no centro de Salvador, e agrediu, ao menos, duas mulheres na madrugada deste domingo (1º). As informações são da Polícia Civil.

Por conta da confusão, o estabelecimento conhecido como Espaço Cultural Caras & Bocas, ficou destruído, com objetos espalhados pelo chão, garrafas quebradas e até um balcão de mármore foi quebrado pelo suspeito. Além do estabelecimento, o homem deu pauladas em um ônibus do transporte urbano de Salvador e no carro de um motorista por aplicativo.

A proprietária do Espaço Caras e Bocas, Rose Silva, detalhou que além dela e da esposa, que registraram a ocorrência na delegacia, uma drag queen foi atacada pelo homem, dentro do bar, com um golpe de garrafa na cabeça, mas passa bem. Ela também disse que uma terceira mulher, que estava no ônibus onde começou a confusão, foi feita de refém pelo suspeito.

Segundo Rose, ele usou uma pedra e um pedaço de pau para abordar a vítima e retirá-la do veículo. Não há detalhes da relação do homem com a mulher feita refém, nem se ela foi ouvida pela polícia.

De acordo com a polícia, o suspeito identificado como Edson Oliveira Lima Macedo, 32 anos, foi contido por populares e policiais militares. Ele foi levado pelos PMs até uma unidade de saúde, recusou atendimento médico e foi encaminhado a uma unidade psiquiátrica, onde foi medicado. À polícia, o suspeito alegou ser usuário de drogas e usar medicamento controlado. Não há detalhes se, após atendimento, ele foi preso.

A Polícia Civil detalhou que o homem entrou em um ônibus do transporte urbano de Salvador, no bairro do Comércio e causou a batida do coletivo com um muro no trajeto até a Avenida Carlos Gomes.

Na avenida, segundo testemunhas, o coletivo parou e o homem desceu com uma mulher feita refém. Rose Silva, a dona do bar que foi destruído pelo homem, presenciou à situação e relembrou a confusão. Ela disse que, junto a outras pessoas do bar, tentou ajudar o homem desde que ele deixou o ônibus com a refém.“Nós estávamos na frente do estabelecimento comercial foi quando o ônibus parou na frente, na Avenida Carlos Gomes, e vimos aquele tumulto, uma pessoa na frente, gritando, uma pessoa dando pauladas, pedradas e a gente, até então, não estávamos entendendo o que estava acontecendo. Começamos a dispersar, mas aí o cidadão, do qual a gente não tem vínculo com ele, nunca vimos ele na vida, desceu com uma refém dentro do ônibus, puxando a mulher pelo cabelo, aí ele deu paulada em um carro, que era de um motorista de aplicativo, e tentou invadir o bar [Caras & Bocas]”, contou.

Segundo Rose, quando Edson Oliveira tentou entrar no estabelecimento, ela quis negociar a soltura da menina e acalmá-lo, já que conforme destacou, o homem é alto e muito forte.

“Eu disse: ‘Larga a menina, calma, calma. Ele estava com um paralelepípedo na mão e um pedaço de pau. Consegui com que ele soltasse a menina, que também não sabemos quem é. Nesse momento ele queria subir [no bar], eu disse que ele até poderia subir, mas que teria que deixar o paralelepípedo e a madeira do lado de fora. Quando ele entrou, eu dei água e a gente já tinha chamado a polícia. Só que logo depois que ele bebeu a água, ele levantou e disse: ‘Perdeu todo mundo, todo mundo vai morrer’”, relatou Rose.

A proprietária do estabelecimento disse ainda que a situação foi rápida. Dentro do bar, o homem começou as ameaças, pegou garrafas de cerveja e quebrou todos os objetos que viu pela frente. “Ele deu uma garrafada na cabeça de uma uma drag queen, a sorte que ela estava com uma peruca. Depois quebrou um balcão dizendo que ia me matar. Ele ainda pegou minha esposa pelo cabelo, saiu arrastando até o meio da rua e jogou ela na frente do ônibus para matar ela. Aí o pessoal [testemunhas] veio, ele tentou entrar em outro bar, que é LGBT também, e ele entrou em via de fatos com o dono e conseguimos abordar ele”, relatou Rose.

De acordo com a polícia, as vítimas foram encaminhadas para realizar exame de perícia. Além disso, foi instaurado um inquérito para apurar os crimes de lesão corporal leve, dano, dano qualificado e ameaça.

A polícia ainda informou que o homem estava alterado e falava frases desconexas. Em uma das unidades de saúde onde foi atendido, ele também danificou objetos. O procedimento será encaminhado para a 1ª Delegacia Territorial (DT/Barris).

Homem causa confusão em ônibus, destrói objetos em bar LGBT e agride mulheres em Salvador: ‘Todo mundo vai morrer’ 1
Foto: Arquivo Pessoal

BNews.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui