Bolsonaro inaugura hospital em Goiás e diz torcer por leitos vazios

O presidente Jair Bolsonaro participou da inauguração do Hospital de Campanha de Águas Lindas, em Goiás, nesta sexta-feira (5) e afirmou torcer para que os leitos fiquem vazios. 

“A gente torce para que pouca gente venha para cá, porque é sinal de que pouca gente precisa de atendimento”, disse o presidente. 

Sem máscara, Bolsonaro participou da cerimônia ao lado do governador do estado, Ronaldo Caiado. Em março, Caiado, que era apoiador de Bolsonaro desde a campanha presidencial, havia rompido com o presidente por divergências sobre o isolamento social. No entanto, Bolsonaro e Caiado sinalizam uma reaproximação. 

“Sempre fomos amigos e morreremos amigos”, disse Bolsonaro sobre Caiado. 

O presidente voltou a chamar de “marginais” e “terroristas” os manifestantes que participaram de atos contrários ao governo federal e pediu que seus apoiadores não saiam às ruas nos mesmos dias em que a oposição. 

“Estamos assistindo agora grupos de marginais, terroristas, querendo se movimentar para quebrar o Brasil”, afirmou Bolsonaro, fazendo menção a atos que aconteceram em São Paulo e Curitiba. 

Segundo o presidente, os manifestantes não zelam pela democracia. “Geralmente são marginais, terroristas, maconheiros, desocupados, que não sabem o que economia, que não sabem o que é trabalhar para ganhar seu pão de cada dia e querem quebrar o Brasil em nome de uma democracia que eles nunca souberam o que é e nunca zelaram por ela”. 

Durante o evento, Caiado afirmou que o hospital está pronto para receber os pacientes. O governador agradeceu a presença do presidente e afirmou que o governo federal muito tem feito pelo estado. 

“O governo federal já investiu em Goiás em R$ 1,4 bilhão”, afirmou.

Novo hospital de campanha

A unidade irá atender, exclusivamente, casos suspeitos e confirmados da covid-19 do Distrito Federal. 

Serão 200 leitos de internação, sendo 190 de enfermaria e 10 de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).