A assessora parlamentar Janice Neves do Nascimento Monteiro, 43 anos, era ameaçada sempre que negava dinheiro ao filho, o usuário de drogas Rafael Patrício Neves Barbosa, 23, na cidade de Paulo Afonso, na Bahia. Janice não acreditava que Rafael pudesse fazer mal à própria mãe. Após mais uma discussão, ele a esfaqueou até a morte nesta terça-feira (14). A morte de Janice foi testemunhada por outra filha, uma adolescente de 13 anos.

Rafael foi surpreendido por policiais militares ainda desferindo golpes em Janice, que morreu na cama do próprio quarto. “Ele ainda tentou atacar os policiais. Foi para cima deles com a faca, mas um dos PMs atirou para cima, e ele se rendeu”, contou ao CORREIO a delegada Juliana Fonte Barbosa, da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Paulo Afonso, onde o caso foi registrado. O criminoso foi autuado em flagrante por feminicídio.

Na manhã desta quarta-feira (15), Rafael passou por uma audiência de custódia. “A gente representou a conversão do flagrante em prisão preventiva na tentativa de mantê-lo preso”, disse a delegada. A decisão cabe à Justiça. 

Ainda nesta manhã, o corpo de Janice foi velado na Câmera de Vereadores de Paulo Afonso, onde a vítima trabalhava. O enterro será à tarde. 

Assassinato
O crime aconteceu pouco depois do meio dia de terça (14), no bairro Bairroca, onde Janice morava com Rafael, duas filhas – uma de 13 e outra de 17 – e um casal de gêmeos de seis anos. No entanto, na hora do crime, só estavam na casa a assessora parlamentar, o criminoso e a filha mais nova. 

De acordo com a delegada Juliana Fonte Barbosa, Janice e Rafael discutiram mais uma vez e a filha de 13 anos perguntou à mãe se ela se sentia segura em ficar só com o irmão, que poderia não ir à escola e ficar com ela. “Mas Janice não queria que a filha faltasse aula e disse que a menina poderia ir tranquila. Então, a mãe ligou para a polícia e se trancou no quarto”, disse a delegada. 

A filha de 13 tinha acabado de sair de casa quando viu o irmão com uma faca do tipo peixeira na cintura e resolveu voltar. “Foi quando Rafael arrombou a porta do quarto com os pés e partiu para cima da mãe. A filha chegou a ver a mãe sendo golpeada. No mesmo instante chegaram os policiais”, contou a delegada. 

Sanidade
Segundo populares, Rafael sofre de esquizofrenia. “Ele parece ter um transtorno. Sorria muito, disse que a mãe o estressava, que era desprezado por ela e que perdeu a cabeça. Mas até o momento não encontramos nada que comprove que ele é esquizofrênico. Pedimos documentos médicos aos parentes e ele passará por um exame de sanidade mental”, disse a delegada. 

Em 2016, Janice prestou queixa contra o filho. “Ela registou uma ocorrência de ameaça e injúria, quando ele a xingou de vagabunda e puta e disse que iria matá-la”, relatou a delegada. Janice era separada do pai de seus filhos. 

fonte: correio

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui