Após alguns ataques a estabelecimentos comerciais cometidos horas após um grupo de policiais militares anunciar uma suposta paralisação, a Polícia Civil já iniciou as investigações sobre uma possível participação do grupo nos atos de vandalismo.

Segundo a PC, indícios apontam que as ações foram coordenadas para gerar sensação de insegurança. Já foram solicitadas perícias nas munições encontradas, imagens de câmeras da Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA) e de segurança privadas. 

Equipes dos departamentos de Polícia Metropolitana (Depom) e de Inteligência Policial (DIP) também buscam testemunhas das ações de vandalismo.  

“Não temos ocorrências desta natureza e, esta coincidência com os acontecimentos, logo depois do anúncio de greve, é determinante para o início das apurações”, explicou o delegado-geral da Polícia Civil, Bernardino Brito.

Matérias relacionadas:

Governador acusa deputado Prisco de ser criminoso: “Ele só pode ser aliado de traficante”
“Não vamos ficar de joelhos para bandidos que têm títulos de políticos”, ataca Rui Costa sobre greve da PM
“Podem retornar para suas atividades”, avisa Comandante da PM à população nesta quarta-feira (9)
Neto refuta “vinculação política” na “greve da PM” e dá recado a Rui: espero que conduza com responsabilidade
Nas últimas 12 horas, quinze suspeitos de crimes foram presos em Salvador e Região Metropolitana
Comandante do CPRL afirma que policiamento está normal em Feira de Santana
Comandante da 34ª CIPM garante policiamento em Brumado e região
Estabelecimentos comerciais são arrombados na Estrada das Barreiras; veja vídeos
Agência da Caixa Econômica do Caminho de Areia é alvo de atentado; veja vídeo
Suspeitos atiram contra agência bancária no bairro da Calçada
‘Ônibus circulam normalmente em Salvador nesta quarta’, garante Sindicato dos Rodoviários
Policial Militar é baleado na Estrada das Barreiras em Salvador

Bnews.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui