Ex-CEO das Americanas é solto em Madri, mas terá de ficar na Espanha e entregar passaporte

0

Miguel Gutierrez foi preso na sexta, na Espanha, após PF deflagrar operação contra fraudes contábeis estimadas em R$ 25 bilhões. Ele terá que se apresentar à Justiça a cada 2 semanas. Miguel Gutierrez, ex-CEO da Americanas
GloboNews/Reprodução
O ex-CEO das Lojas Americanas Miguel Gutierrez foi colocado em liberdade neste sábado (29) em Madri, na Espanha. Ele tinha sido preso na sexta (28), após operação deflagrada pela Polícia Federal no Brasil.
Em nota, a defesa do executivo disse que ele “se encontra em sua residência em Madri, na Espanha, no mesmo endereço comunicado desde 2023 às autoridades espanholas”. E que vai se defender do que chama de “alegações originadas por delações mentirosas” (veja íntegra abaixo).
Investigadores brasileiros que acompanham os trabalhos na Espanha informaram à TV Globo que Gutierrez passou por uma audiência de custódia às 10h deste sábado (29), no horário local (5h, no horário de Brasília).
Com a soltura, Miguel Gutierrez terá de cumprir uma série de obrigações com a Justiça espanhola:
comparecer em juízo a cada duas semanas;
entregar o passaporte às autoridades;
se comprometer a não deixar a Espanha.
Na quinta-feira (27), a Polícia Federal deflagrou a operação Disclosure contra fraudes contábeis nas Lojas Americanas. Segundo as investigações, o rombo chegaria a R$ 25 bilhões. Gutierrez nega irregularidades.
Foram expedidos mandados de prisão contra Gutierrez e Anna Christina Ramos Saicali, uma de suas diretoras — esta seguia foragida até a manhã deste sábado (29).
Polícia da Espanha prende, em Madri, ex-CEO das lojas Americanas
Miguel Gutierrez vive na Espanha desde que o escândalo da Americanas estourou, em janeiro de 2023, e tem cidadania espanhola. Seu nome e o de Saicali chegaram a ser incluídos na Difusão Vermelha da Interpol, a lista dos mais procurados do mundo.
O governo brasileiro analisa a possibilidade de pedir a extradição de Gutierrez, para que ele responda pelo crime e cumpra eventual condenação no Brasil. O fato de ele ter cidadania espanhola, no entanto, é um complicador – a Espanha, por regra, não extradita seus cidadãos.
O Brasil também pediu ajuda a autoridades de Portugal para capturar a ex-diretora das Americanas Anna Saicali, que está foragida.
Americanas: entenda a fraude que levou à operação da PF
O que diz a defesa
Os advogados de Miguel Gutierrez divulgaram nota em que confirmam a soltura. Leia abaixo:
A defesa de Miguel Gutierrez informa que o executivo se encontra em sua residência em Madri, na Espanha, no mesmo endereço comunicado desde 2023 às autoridades espanholas e brasileiras, onde sempre esteve à disposição dos diversos órgãos interessados nas investigações em curso.
Na data de ontem (28/06), o executivo compareceu espontaneamente ante as autoridades policiais e jurisdicionais com o fim de prestar os esclarecimentos solicitados.
Diante do acesso aos autos, Miguel agora poderá exercer sua defesa frente às alegações originadas por delações mentirosas em relação a ele.
A defesa reitera ainda que Miguel jamais participou ou teve conhecimento de qualquer fraude e que vem colaborando com as autoridades, prestando os esclarecimentos devidos nos foros próprios, manifestando uma vez mais sua absoluta confiança nas autoridades brasileiras e internacionais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *