Festival LED: Angela Davis, Mion, Porchat, Krenak e Criolo participam de evento sobre educação; veja como assistir

0

Programação inclui uma série de atividades para crianças, shows e premiações de projetos inovadores – conheça os finalistas. Festival LED acontece no Museu de Arte do Rio e no Museu do Amanhã
JN
O Festival LED — iniciativa da TV Globo e da Fundação Roberto Marinho — levará ao Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (21) e no sábado (22), mais de 250 palestrantes da área de educação, além de uma série de atividades para crianças, shows e premiações de projetos inovadores (conheça os 5 finalistas abaixo).
Ao longo destes dois dias, o g1 vai transmitir ao vivo dois palcos do evento com palestras e debates que você poderá acompanhar em dois links:
Transmissão no g1 do Palco Inova (com sinal do canal Futura), das 10h30 até 18h30
Transmissão no g1 do Palco Inspira (com sinal do Globopay), das 12h até 18h30
Entre os nomes que debaterão assuntos como ensino público e inclusão social, estão:
a professora e filósofa norte-americana Angela Davis;
o ambientalista, filósofo e poeta Ailton Krenak;
os apresentadores Rita Batista e Marcos Mion;
os comediantes Felipe Neto, Fábio Porchat e Pequena Lo;
o filósofo Mário Sérgio Cortella;
o cantor Criolo;
os atores Clayton Nascimento, Vilma Melo e Babu Santana;
e as jornalistas Renata Lo Prete, Andreia Sadi, Natuza Nery, Sônia Bridi, Vera Magalhães, Flávia Oliveira, Sandra Annenberg e Renata Ceribelli.
Veja a programação completa
FINALISTAS DO DESAFIO LED + g1
No sábado, que os jurados definirão os premiados do Desafio LED + g1. Após mais de 2,4 mil inscrições de todo o Brasil, foram selecionadas cinco ideias para ajudar a solucionar problemas na educação. Conheça abaixo os selecionados e suas propostas:

👨‍🎓 Projeto: Lêcomigo, de Eduardo de Sousa Silva Basilio
Eduardo tem 32 anos, é de Fortaleza (CE). É graduado em Biblioteconomia e estudante em gestão escolar e coordenação pedagógica.
Resumo do projeto: “Clube de assinaturas de livros infantis para crianças de 3 a 7 anos, matriculados em escolas públicas. Para manter a continuidade da criança no programa, a família deve se comprometer a enviar, por meio do nosso aplicativo, uma evidência mensal da leitura do livro, garantindo que o impacto esperado tenha sido gerado. Assim, causamos um impacto na primeira infância, aumentando o nível de interpretação de texto, fortalecendo laços familiares e solidificando a base, com o objetivo de melhorar os resultados de aprendizagem em todas as áreas do conhecimento.”
👩‍🎓 Projeto: Acessaí: Acessibilidade ao alcance das mãos, de Márcia Miyuko Yamaguchi
Márcia tem 34 anos, é de Campina Grande (PB) e é estudante de mestrado em Design na UFCG.
Resumo do projeto: O aplicativo é uma intermediação entre especialistas em acessibilidade e educação inclusiva, professores da educação infantil e fundamental do ensino regular e pais de crianças com deficiência. Por meio do nosso app, facilitamos o acesso a informações especializadas com a quais os professores poderão tornar suas aulas acessíveis e mais inclusivas. Da mesma forma, pais de crianças com deficiência poderão estimulá-las precocemente ainda na idade pré-escolar. Compartilhamento de informações em um ambiente seguro e de fácil acesso.
👩‍🎓 Projeto: SmartVideosEdu: Sistema Personalizado de Recomendação de Vídeos Educacionais, de Nathália Peixoto dos Santos
Nathália tem 21 anos, é de Hortolândia (SP) e é estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas – IFSP Campus Hortolândia.
Resumo do projeto: “Utilizando como base o Modelo de Estilos de Aprendizado de Felder e Silverman e inteligência artificial, o SmartVideosEdu atua como uma ferramenta de apoio para complementar ao ensino em sala de aula, oferecendo ao público universitário uma curadoria personalizada de acordo com o perfil de aprendizado dos alunos de vídeos educacionais disponíveis em plataformas de vídeo como o YouTube, tornando a experiência de aprendizado mais personalizada e envolvente.”
👩‍🎓 Projeto: Voz Ativa, de Raislúcio de Carvalho Leal
Raislúcio tem 21 anos, é de Belém do Piauí (PI) e estuda direito na Universidade Estadual do Piauí (UESPI)
Resumo do projeto: “O Voz Ativa é uma plataforma colaborativa que busca tornar a educação acessível para estudantes com deficiência visual no ensino superior. Nossa missão é simples: transformar livros científicos em áudio, narrados por voluntários de todo o Brasil, para que esse grupo específico de alunos possam estudar com conforto e eficiência.”
👩‍🎓 Projeto: Brasil Leitor: Aplicativo para alfabetização de jovens e adultos, de Tabatan Tania da Silva
Tabatan tem 39 anos, é de Elisario (SP) e estuda pós-graduação em educação parental e inteligência emocional na UNIFAST.
Resumo do projeto: “O Brasil Leitor é um aplicativo educacional que facilita a alfabetização de crianças e jovens através de jogos e desafios interativos. Ele é humanizado, intuitivo e acessível, com suporte de professores voluntários. O objetivo do projeto é tornar a alfabetização no Brasil acessível, inclusiva e eficaz, ajudando a reduzir o número de analfabetos e melhorar a educação no nosso país.”
Todos os selecionados acima participarão de um “pitch”, ou seja, vão apresentar suas ideias para os jurados em um evento com a mediação do apresentador Marcos Mion. O evento, às 17h30, terá transmissão ao vivo pelo Globoplay, Canal Futura e pelo g1.
Serão R$ 85 mil para os dois primeiros lugares, R$ 60 mil para o terceiro, R$ 40 mil para o quarto e R$ 30 mil para o quinto.
Prêmio LED: incentivo a boas ideias na educação
Apresentação final do Desafio LED 2022.
Thaty Aguiar/Globo
Também haverá a participação de finalistas e de vencedores da última edição do Prêmio LED, que reconhece soluções criativas desenvolvidas por professores e alunos para problemas educacionais:
Luiza Diniz Vilanova falará do projeto “Tocando em Frente”, que busca engajar alunos em atividades extracurriculares;
Anna Maria Canavarro contará os detalhes do “Investiga, Menina!”, projeto de incentivo a pesquisadoras negras;
Daniela Soares da Silva compartilhará sua experiência no “Aldeias”, voltado para crianças, adolescentes e jovens que foram afetados pela construção da hidrelétrica de Belo Monte (em Altamira, PA);
Yayenca Yllas Frachia apresentará “A horta agroecológica como tecnologia social educativa”, mostrando como o projeto pode contribuir para a interdisciplinaridade;
e Livia Guimarães Arruda dividirá com a plateia as ideias do “Motoca na praça”, que quer transformar a relação das crianças com o entorno da escola onde estudam.
Vídeos de Educação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *